Publicidade

DC Turismo

21/01/2017

Piscinas naturais cercadas de areias se transformam em 'orlas' no Estado

Da Redação
Email
A-   A+
Praia em Minas Gerais. Impossível? Com um pouquinho de imaginação, à beira de rios, lagoas e cachoeiras se transformam em refrescantes piscinas naturais. Quem experimenta, aprova. E dá até apelido carinhoso: ?praias? de água doce, prainhas... Estes destinos têm sido opção para aqueles que não viajaram para o litoral ou gostam de provar novas aventuras.

A cidade de Pirapora, localizada no território Norte do Estado, possui algumas das mais belas praias. Banhada pelo rio São Francisco, a cidade abriga ao longo de 2 quilômetros diversas áreas com bancos de areia à beira do rio, onde os visitantes se refrescam no calor intenso da região.

O ponto mais visitado é o Balneário das Duchas, que fica no centro da cidade. No local, os banhistas podem se refrescar nas límpidas e correntes quedas d?água ou relaxar na areia fina, branca e abundante e ao mesmo tempo admirar a bela vista da Ponte Marechal Hermes, outro importante atrativo da cidade, sobre as águas do Velho Chico.

A praia conta com três quiosques fixos, dois bares e um sanitário, além de várias palhoças que servem o tradicional peixe frito e a cerveja gelada. Nas areias, existem vários campos de futebol, vôlei e peteca. A área de possibilidade de banhos é delimitada pelo Corpo de Bombeiros, que presta assistência no local.

Já a Praia do Areão, que fica um pouco depois do balneário, é sazonal: se forma após o período das enchentes, onde são montadas barracas de alimentos, bebidas e de esportes para atendimento ao público.

Entre os esportes disponíveis estão o futevôlei, vôlei de praia, peteca, futebol de Areia, canoagem, rafting e passeios de jet ski. É basicamente o paraíso para quem gosta de praticar o ecoturismo.

Segundo o funcionário do Centro de Atendimento ao Turista (CAT) de Pirapora e guia turístico, Adélio Brasil, é possível e é verdade. ?Além de poder admirar as paisagens únicas do Estado, a sensação é quase a mesma de estar na praia, mas com aquela receptividade e aconchego de Minas?, diz.

Alberto Trincanato, morador de longa data da cidade e dono de pousada, complementa que as ?praias? de Pirapora são referências no turismo do Norte de Minas. ?Além da praia, aqui tem tranquilidade, diversidade de atrativos naturais e comida típica, muitas vezes baseada na pesca?, comenta.

Ainda segundo Trincanato, o turismo é o segmento que mais movimenta a economia da cidade. ?O turismo é muito importante para nós. Aqui você pode conversar com pescadores locais e negociar um passeio de barco pelo Rio São Francisco, onde poderá desfrutar de um relaxante banho nas praias mais distantes do rio e até mesmo praticar a pesca esportiva. Os visitantes ficam satisfeitos e a cidade inteira agradece?, comenta.

Já em São Gonçalo do Rio Preto, localizado no território Alto Jequitinhonha, o Parque Estadual do Rio Preto abriga a ?prainha? da Cachoeira do Crioulo. Após uma bela queda, as  águas do rio Preto correm através de bancos de areias brancas, o que também faz do local uma típica praia mineira.

O contraste da areia clara com as águas escuras do rio caindo entre as pedras acinzentadas da cachoeira, forma um cenário no mínimo exótico e relaxante. Para completar ainda mais o cenário e o banho relaxante, os peixes nadam bem próximos a borda encantando os visitantes.

Para chegar ao local é necessário percorrer uma trilha de seis quilômetros, com um grau de dificuldade moderado e acompanhamento de um guia do parque. O tempo aproximado na trilha é de 2 horas e 30 minutos. No percurso é possível avistar as serras da região e parar nos dois mirantes para registrar o momento único.

Para Jussara Salomão, que visitou recentemente a Cachoeira do Crioulo, não há como explicar a sensação de estar no local. ?Eu não sem nem explicar a sensação de chegar e ver a cachoeira e sua prainha. É indescritível. A cachoeira é uma das mais bonitas que eu já vi na vida. Apesar da trilha exigir um pouco da gente, eu recomendo a visita. Quando fui havia crianças lá. Todos conseguem chegar?, relembra.

O parque possui uma das mais completas infraestruturas em unidades de conservação do Estado que inclui portaria, estacionamento e restaurante. Os 12 alojamentos podem abrigar até 52 pessoas e a área de camping comporta até 25 barracas próximas aos quiosques, churrasqueiras, lavatório de vasilhames, vestiários e fonte de água potável.

Contudo, os alojamentos e a área de camping devem ser reservados com antecedência junto à administração do parque. O horário de visitação é de 7 horas às 17 horas, de terça a domingo. O valor da entrada é de R$ 7 por pessoa. Não é cobrada a taxa para crianças menores de 10 anos.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

22/01/2017
Novos circuitos buscam alavancar cicloturismo em Minas Gerais
Se cada vez tem crescido a opção por bicicletas para se deslocar nas grandes cidades, os brasileiros também têm pedalado na hora de viajar e novos roteiros de...
22/01/2017
Feriados vão movimentar R$ 21 bilhões no turismo
Projeção feita pelo Ministério do Turismo revela que as viagens nos fins de semana prolongados por feriados que caem na segunda, terça, quinta ou sexta-feira...
21/01/2017
Setur tem nova estrutura para o turismo
Foi necessário reajustar o organograma para distribuir melhor os servidores em suas funções
21/01/2017
Após mudança para o Terminal 3, Copa amplia voos diários
Tempo mínimo de conexão reduzirá para 50 minutos
21/01/2017
CHA Hotéis adia plano de expansão em unidades administradas para 2025
Sensível à crise econômica atravessada pelo País, o setor de hotelaria vem sofrendo desde o segundo semestre de 2014, quando os turistas atraídos pelos jogos da Copa do Mundo se foram e os...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.