Publicidade

Internacional

21/01/2017

Trump assume em tom nacionalista

Novo presidente reforça discurso de pensar acima de tudo nos interesses do país
Email
A-   A+
Cerimônia de posse, debaixo de chuva, foi assistida e aplaudida por uma multidão de apoiadores de Donald Trump/Ching Oettel
Washington - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, fez um discurso com tom nacionalista na sexta-feira, prometendo colocar o interesse do país sempre em primeiro lugar, e foi ovacionado pela multidão que assistiu sua cerimônia de posse, que aplaudia fortemente a cada frase aos gritos de “USA, USA”.

Logo que Trump iniciou seu discurso, uma chuva fina começou a cair em Washington, mas não esfriou o ânimo de seus admiradores. O discurso não trouxe novidades em termos de medidas que planeja tomar em seu governo, mas Trump voltou a prometer criar empregos nos país, principalmente trazendo aqueles que foram exportados para o exterior. “De hoje em diante, uma nova visão vai governar nosso país. Vai ser sempre a América primeiro”, afirmou Trump.

O republicano ressaltou que cada decisão sobre imigração, relações externas e tarifas sempre vai ser tomada pensando primeiro nos interesses dos EUA. “A América vai começar a ganhar de novo, como nunca antes. Vamos trazer de volta nosso trabalho, nossas fronteiras, nosso patrimônio e nossos sonhos.”

Trump prometeu no discurso investir em infraestrutura, para construir novas estradas, rodovias e aeroportos. “Vamos pôr as pessoas de volta para trabalhar.” Segundo o novo presidente, a política dos EUA vai seguir dois princípios básicos: compre produtos americanos, contrate trabalhadores americanos. O republicano disse que vai entender se outros países colocarem o interesse deles primeiro e prometeu não impor a outras nações o estilo americano.

Leia também
Líderes mundiais defendem a globalização
Manifestantes confrontam a polícia


Erradicar terrorismo - Um dos momentos em que Trump mais foi aplaudido foi quando afirmou que quer “erradicar o terrorismo islâmico da face da terra”. Ele considerou que nos últimos anos os EUA se empenharam em proteger a fronteira de outros países e acabou esquecendo de proteger a sua própria. “Quando a América é unida, é totalmente imparável”, afirmou.

“Precisamos pensar grande e sonhar grande”, apontou Trump, ressaltando que é necessário não aceitar mais políticos que falam demais e fazem pouco. “O período da fala vazia acabou.”

O republicano ressaltou algumas vezes em seu discurso que fará a economia dos EUA prosperar e que os cidadãos do país, sobretudo os que viram sua condição de renda piorar, “nunca serão ignorados novamente”. “Estamos devolvendo Washington para vocês”, frisou ele, arrancando aplausos da plateia. “Dia 20 de janeiro de 2017 será lembrado como o dia em que o povo se tornou o governante desta nação novamente.”

Mísseis - Em comunicado divulgado no site oficial da Casa Branca, o governo do novo presidente informou que seu país vai submeter ao Congresso um programa de Defesa de mísseis para a proteção de ataques de países como “Irã e Coreia do Norte”.

“Nosso exército precisa de cada recurso disponível para defender a América”, afirma o comunicado. “Não podemos permitir que outros países ultrapassem nossa capacidade militar”, completa.

O republicano ainda prometeu apresentar um orçamento definindo um plano para a “reconstrução do exército” e, no comunicado, aponta que vai reformar o departamento dedicado aos veteranos norte-americanos.

Mal  Donald Trump tomou posse, a Casa Branca já atualizou seu site com algumas novidades polêmicas. A seção dedicada às mudanças climáticas, bandeira defendida pelo ex-presidente Barack Obama, por exemplo, foi apagada da página oficial, assim como qualquer menção ao aquecimento global. Também não havia mais seções no site sobre direitos civis e público LGBT. (AE)

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

11/02/2017
Power China negocia obra da Odebrecht na Colômbia
Contrato de US$ 873 milhões seria retomado por novo consórcio
11/02/2017
Ex-presidente do Peru é procurado por suborno
Lima, Peru - O governo peruano pediu que a Interpol acelere a ativação do alerta vermelho em nível mundial para a captura do ex-presidente Alejandro Toledo, sobre quem pesa...
10/02/2017
Bancos apoiam combate à evasão
Instituições financeiras ajudam governos da América Latina a trazer dólares de volta
10/02/2017
Trump afirma que reduzirá impostos em alguns dias
Washington - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nessa quinta-feira (9) que fará um importante anúncio sobre impostos em algumas semanas, levando o dólar a...
10/02/2017
Alemanha registra superávit comercial recorde de US$ 270 bilhões
Frankfurt - A Alemanha registrou novo superávit comercial recorde em 2016, uma tendência que provavelmente reacenderá o debate entre Washington e Berlim sobre a...
› últimas notícias
Juros do cheque especial caíram em fevereiro
Seguro viagem reduz despesas médicas e aumenta tranquilidade
Nota do Brasil é mantida em BB pela S&P
Corte no Orçamento deve ficar próximo de R$ 30 bilhões
Direito do consumidor gera quase 30% dos processos judiciais no País
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:

Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› DC Auto
Jeep Compass Trailhawk sai na frente com o diesel
Pacote farto de equipamentos se destaca
Novo Honda WR-V chega em março
Activ é a versão aventureira do Chevrolet Onix, carro mais vendido no Brasil em 2016
Evolução é obrigatória para os motores
Leia todas as notícias ›
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


11 de fevereiro de 2017
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.