Publicidade

Agronegócio

19/01/2017

VBP da agropecuária cresceu 12,3% em Minas

O giro em 2016 chegou a R$ 60,4 bilhões
Michelle Valverde
Email
A-   A+
A soja, produto com o segundo maior valor do VBP, alcançou R$ 5,76 bilhões, aumento de 37,6%/Ascom Paraná/Fábio Scremin
Em 2016, o Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) de Minas Gerais alcançou R$ 60,4 bilhões, aumento de 12,3% frente ao resultado registrado em 2015. A elevação foi puxada pelo setor agrícola, cujo VBP cresceu 24,7%, enquanto o resultado da pecuária recuou 6,5%. Para 2017, a expectativa é de resultados positivos, uma vez que o clima, até o momento, está favorável para a produção agropecuária e é esperada a retomada da economia, o que poderá estimular o consumo.

De acordo com os dados divulgados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), os resultados de Minas Gerais foram melhores que o nacional. Enquanto o VBP do agronegócio mineiro cresceu 12,3%, o VBP da produção agropecuária do Brasil recuou 1,8%, atingindo R$ 527,9 bilhões.

A coordenadora da Assessoria Técnica da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg), Aline Veloso, explica que 2016 foi marcado pelas questões climáticas, que afetaram grandes regiões produtoras do País.

“A produção de Minas Gerais foi prejudicada pela seca, principalmente, no período da safrinha. Foram 159 municípios decretando situação de emergência em função da estiagem. É um número bastante alto e que interfere nos resultados de diversas lavouras, principalmente de grãos. No período da safrinha, as produções de milho e feijão foram as mais prejudicadas em relação ao volume colhido, o que estimulou os preços. Como o VBP é calculado multiplicando os preços e a quantidade, o resultado do Estado foi positivo”, disse.

Para 2017, a princípio, as expectativas são positivas. “Esperamos que o produtor tenha mais fôlego em 2017, com uma recuperação melhor da economia, refletindo de forma positiva no setor. Aguentamos 2016, que foi um ano difícil, e esperamos que 2017 seja melhor. O ano iniciou com a cotação de vários produtos em alta, como o café e a soja. Além disso, o clima, por enquanto, está favorável para a produção”.

Em Minas Gerais, o VBP da atividade agrícola foi de R$ 40,29 bilhões, um crescimento de 24,7% sobre os R$ 32,31 bilhões em 2015. O destaque do setor foi o café. O VBP do principal produto do agronegócio estadual alcançou R$ 15,4 bilhões, aumento de 36% frente ao valor de R$ 11,3 bilhões verificados em 2015.

“Além da produção maior, os preços do café se mantiveram em patamares mais elevados ao longo de 2016, o que foi essencial para o resultado positivo. Isso fez com que o cafeicultor negociasse a safra a preços melhores. Não podemos afirmar que houve recuperação da renda do cafeicultor, mas traz expectativas positivas”.

Outro produto relevante no Estado, a cana-de-açúcar, encerrou o período com VBP de R$ 5 bilhões, variação positiva de 3,1%. A produção mundial menor, a demanda em alta e os preços rentáveis estimularam a produção de açúcar em Minas Gerais e impulsionaram o resultado da cana.

Leia também
Pecuária registrou recuo de 6,5% no Estado


Grãos - A soja, produto com o segundo maior valor do VBP, também apurou bons resultados: alcançou R$ 5,76 bilhões, aumento de 37,6%. A crescente demanda mundial foi fundamental para que os preços se mantivessem mais elevados, mesmo com uma produção maior no período.

O VBP do milho encerrou 2016 em R$ 3,96 bilhões, alta expressiva de 26,8%. Ao longo de 2016, o aumento das exportações e a demanda interna aquecida fizeram com que os preços atingissem patamares recordes permitindo a evolução do faturamento da cultura.

Alta também foi verificada no VBP de feijão, que ficou 55,2% maior, somando R$ 2,26 bilhões. A estiagem severa prejudicou a segunda safra do produto, limitando a oferta e estimulando os preços.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

22/01/2017
Brasil desenvolve pesquisa para produção e exportação para a Índia
Um cenário bastante promissor está se desenhando para a produção de leguminosas – grão-de-bico, lentilha, ervilha, feijão-vagem e outros...
21/01/2017
Rebanho brasileiro cresceu 27% em 2016
Minas Gerais responde por 26% do volume nacional, com 16.932 bovinos registrados no ano passado
21/01/2017
Entidades criticam números da Conab referentes aos estoques do conilon
Brasília - Produtores de café e entidades ligadas ao setor criticaram os números divulgados pelo governo sobre os estoques privados de café conilon, em reunião...
21/01/2017
Governo anuncia leilões do arábica
A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) retoma, nessa semana, os leilões eletrônicos de venda de café arábica dos estoques públicos. Na primeira...
20/01/2017
Estados devem aumentar vigilância para prevenir influenza aviária
São Paulo - O Ministério da Agricultura solicitou aos órgãos estaduais de defesa sanitária animal que aumentem a vigilância em estabelecimentos...
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.