Publicidade

Agronegócio

19/01/2017

VBP da agropecuária cresceu 12,3% em Minas

O giro em 2016 chegou a R$ 60,4 bilhões
Michelle Valverde
Email
A-   A+
A soja, produto com o segundo maior valor do VBP, alcançou R$ 5,76 bilhões, aumento de 37,6%/Ascom Paraná/Fábio Scremin
Em 2016, o Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) de Minas Gerais alcançou R$ 60,4 bilhões, aumento de 12,3% frente ao resultado registrado em 2015. A elevação foi puxada pelo setor agrícola, cujo VBP cresceu 24,7%, enquanto o resultado da pecuária recuou 6,5%. Para 2017, a expectativa é de resultados positivos, uma vez que o clima, até o momento, está favorável para a produção agropecuária e é esperada a retomada da economia, o que poderá estimular o consumo.

De acordo com os dados divulgados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), os resultados de Minas Gerais foram melhores que o nacional. Enquanto o VBP do agronegócio mineiro cresceu 12,3%, o VBP da produção agropecuária do Brasil recuou 1,8%, atingindo R$ 527,9 bilhões.

A coordenadora da Assessoria Técnica da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg), Aline Veloso, explica que 2016 foi marcado pelas questões climáticas, que afetaram grandes regiões produtoras do País.

“A produção de Minas Gerais foi prejudicada pela seca, principalmente, no período da safrinha. Foram 159 municípios decretando situação de emergência em função da estiagem. É um número bastante alto e que interfere nos resultados de diversas lavouras, principalmente de grãos. No período da safrinha, as produções de milho e feijão foram as mais prejudicadas em relação ao volume colhido, o que estimulou os preços. Como o VBP é calculado multiplicando os preços e a quantidade, o resultado do Estado foi positivo”, disse.

Para 2017, a princípio, as expectativas são positivas. “Esperamos que o produtor tenha mais fôlego em 2017, com uma recuperação melhor da economia, refletindo de forma positiva no setor. Aguentamos 2016, que foi um ano difícil, e esperamos que 2017 seja melhor. O ano iniciou com a cotação de vários produtos em alta, como o café e a soja. Além disso, o clima, por enquanto, está favorável para a produção”.

Em Minas Gerais, o VBP da atividade agrícola foi de R$ 40,29 bilhões, um crescimento de 24,7% sobre os R$ 32,31 bilhões em 2015. O destaque do setor foi o café. O VBP do principal produto do agronegócio estadual alcançou R$ 15,4 bilhões, aumento de 36% frente ao valor de R$ 11,3 bilhões verificados em 2015.

“Além da produção maior, os preços do café se mantiveram em patamares mais elevados ao longo de 2016, o que foi essencial para o resultado positivo. Isso fez com que o cafeicultor negociasse a safra a preços melhores. Não podemos afirmar que houve recuperação da renda do cafeicultor, mas traz expectativas positivas”.

Outro produto relevante no Estado, a cana-de-açúcar, encerrou o período com VBP de R$ 5 bilhões, variação positiva de 3,1%. A produção mundial menor, a demanda em alta e os preços rentáveis estimularam a produção de açúcar em Minas Gerais e impulsionaram o resultado da cana.

Leia também
Pecuária registrou recuo de 6,5% no Estado


Grãos - A soja, produto com o segundo maior valor do VBP, também apurou bons resultados: alcançou R$ 5,76 bilhões, aumento de 37,6%. A crescente demanda mundial foi fundamental para que os preços se mantivessem mais elevados, mesmo com uma produção maior no período.

O VBP do milho encerrou 2016 em R$ 3,96 bilhões, alta expressiva de 26,8%. Ao longo de 2016, o aumento das exportações e a demanda interna aquecida fizeram com que os preços atingissem patamares recordes permitindo a evolução do faturamento da cultura.

Alta também foi verificada no VBP de feijão, que ficou 55,2% maior, somando R$ 2,26 bilhões. A estiagem severa prejudicou a segunda safra do produto, limitando a oferta e estimulando os preços.

Publicidade

Aproveite! Assine o DC e tenha notícias exclusivas

Leia também

11/02/2017
Comitê vai incentivar pesquisa em Minas
Objetivo é fomentar o uso da planta para alimentação do rebanho e como fonte de renda no semiárido
11/02/2017
Cafeicultura: negócios em feira de implementos, máquinas e insumos devem crescer 16%
Guaxupé - A crise econômica que atinge o Brasil parece ter passado longe da Feira de Máquinas, Implementos e Insumos Agrícolas (Femagri), promovida de 8 a 10 de...
11/02/2017
IDEIAS | O Brasil não conhece o seu potencial agrícola
O agronegócio tem sido o salvador da pátria e da economia. Não fosse ele, a situação do País seria mais grave. No entanto, apesar desse sucesso, pode-se...
11/02/2017
Cultura reduz custos e garante segurança alimentar
A palma forrageira é vista como uma alternativa viável na composição da alimentação dos rebanhos. Por ser mais resistente aos períodos de estiagem,...
10/02/2017
Safra deve crescer 15,3% em Minas Gerais
Companhia Nacional de Abastecimento projeta 13,62 milhões de toneladas, com destaque para o milho
› últimas notícias
Juros do cheque especial caíram em fevereiro
Seguro viagem reduz despesas médicas e aumenta tranquilidade
Nota do Brasil é mantida em BB pela S&P
Corte no Orçamento deve ficar próximo de R$ 30 bilhões
Direito do consumidor gera quase 30% dos processos judiciais no País
Leia mais notícias ›
› Newsletter
O melhor conteúdo exclusivo e gratuito no seu e-mail:

Cadastrar
› Mais Lidas
Leia todas as notícias ›
Publicidade
› DC Auto
Jeep Compass Trailhawk sai na frente com o diesel
Pacote farto de equipamentos se destaca
Novo Honda WR-V chega em março
Activ é a versão aventureira do Chevrolet Onix, carro mais vendido no Brasil em 2016
Evolução é obrigatória para os motores
Leia todas as notícias ›
› Assine o DC

Acesso completo

aos conteúdos online e versão impressa.
Único jornal especializado em Economia, Negócios e Gestão de Minas Gerais.
Ferramenta indispensável para fazer bons negócios.
› Edição Impressa


11 de fevereiro de 2017
Conteúdo exclusivo para assinantes
› DC no Facebook
 
© Diário do Comércio. Todos os direitos reservados. Política de Privacidade. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.